quinta-feira, 3 de junho de 2010

O que é mediação da aprendizagem?

Estou lendo  um livro chamado Mediação da  Aprendizagem que traz muitas contribuições  de Feuerstein e de Vygotsky, chego a conclusão que minhas  dúvidas e  questionamentos estão trilhando  caminhos  certos.
Buscar  entender a mediação na aprendizagem é compreender de  que  forma acontece a aprendizagem no ser humano.
Toda minha infância  foi mediada por minha mãe e por meu pai, que  procuravam despertar em mim a vontade de aprender a aprender, a busca de me fazer compreender que lendo,  eu seria de algum  modo  livre para  voar como um pássaro, e assim ser  autora da minha  própria história.
Depois de anos tentando  fazer com que minha equipe de professores compeendessem a importancia da mediação na aprendizagem,chego a conclusão que ainda  tenho um vasto caminho a percorrer e  eles  também. 
Ao professor não basta ensinar, ao professor compete mediar.
Vemos hoje um discurso  muito  usado em quase todas as escolas do  país: " O  aluno  precisa  aprender a aprender" na realidade isso  virou um jargão, que na maioria das vezes não acontece. Todo  professor precisa  ter em mente que  necessita mudar sua   forma de agir , mudar o estilo de suas  aulas, precisa alcançar este aluno  na integra, ou a  aprendizagem não irá  acontecer. Nos  cursos  de  graduação, pós-  graduação e etc vemos professores  nos  aconselhando a lecionarmos de  forma a  transmitir as informações aos nossos alunados de forma que os mesmos  consigam  perceber e entender o que queremos transmitir. Os professores de uma forma geral até  tentam mas  a grande maioria não sabe  como fazer isto acontecer. 
Nas Universidades , lemos  textos retirados de livros e não  livros inteiros, por este motivo,  apenas  refletimos o que diz  um capítulo,ou seja fazemos sinteses e discutimos o conteúdofracionado, não  nos dão espaço para  sermos autores de nossa prática, não nos deixam espaço para  produzir bons textos, e assim  formamos professores que  não  acham importante a criação, damos valores a cópias. Como  diria  Jung " nascemos original e morremos cópia". É bem  verdade que isso  acontece, portanto, precisamos de modelos  para  serem  seguidos, mas  que modelos  estamos seguindo?formando?  como exigir  do professor, mudanças? Então levantamos  uma questão: Qual a diferença entre ensinar  e mediar? ou seja qual a diferença entre ser professor e ser mediador? Um professor pode ser mediador? Como fazer deste aluno autor de sua história ou  que não seja apenas um  transmissor de conhecimentos , mas que seja  produtor de conhecimentos , que saiba desenvolver sua autonomia para  poder aprender a aprender.Formando-se assim  como que diz nossa LDB, cidadão  do mundo, crítico , reflexivo, justo e eficaz nas suas ações e consciente de seu papel no mundo e na sociedade.
Logo lendo e buscando sobre mediação pude compreender que mediar é uma espécie de interação especializada em que a "aprendizagem encontra a "autonomia para aprender" e juntas, possibilitam a  contrução de pessoas com capacidade de andar por si só na contrução do conhecimento." Compreedendo que mediar é  tão importante , me  retrato a minha infância  para  descrever um pouco  sobre  como a mediação  foi  importante na minha formação  não só  academica como  pessoal.
Minha mãe  de uma certa forma me vem hoje a lembrança como a primeira mediadora  que conheci e talvéz a  mais importante. Em toda minha  infância, lembro  dela lendo e me  fazendo depois  narrar  o que ela  havia lido  de forma que  eu pudesse não  decorar sua fala, mas  de alguma forma oportunizar a minha criação, ou seja  que  eu pudesse descrever de que forma compreendi o que ela  havia lido. O mais engraçado  disso é que ela não tinha instrução, não havia feito um curso  superior, nem pós graduação e nem tão puco mestrado ou doutorado em educação. Havia  sim,  todo um encantamento em sua  fala,  que até hoje a escuto  contando  com  tanta emoção  por exemplo,  a história de Cachinhos de ouro, e  eu  enquanto  ouvinte me deixava penetrar  por  esse mundo do faz de conta, e assim  ia  de uma certa forma  construindo meus saberes e no dialógo com  ela, sendo autora da minha  própria imaginação, reconstruindo tais experiências mentais e verbais,  formalizando assim o aprender a aprender hoje tão  divulgado.Nas trocas, nos dircursos, nas conversas  conseguimos de alguma  forma transmitir  nossa  aprendizagem, ou seja  com  dizia Vygotsky  é na interação que o homem se faz homem.
E buscando em Feuerstein  e estudando sua  proposta que tem por  base as experiências de aprendizagem mediada  e a avaliação de potencial de desenvolvimento, que  procuro  base  para meu questionamento  sobre  como podemos aprender a aprender? de que  forma  podemos mediar um aluno? Será que o mediador pode ser um facilitador da aprendizagem? e  de que forma  esse mediador poderá  atuar na escola?Eses  questinamnetos me fazem  buscar  em minha  prática , primeiro como  professora e depois como coordenadora que que forma podemos formar pessoas que compreendam  a importância de mediar.
A mediação vem também para romper com os paradigmas e conceitos, hoje precisamos abrir as portas para a diversidade educacional,revendo nossas atitudes em sala de aula, integrando várias áreas do saber, trabalhar as várias educações, para poder identificar potencialidades, para que todos posssam ser alcançados,contribuindo assim com a escola inclusiva que chega hoje para agregar aqules com com transtornos ou que apresentam dificuldades de aprendizagem ou de ensinagem, Estou lendo  um livro chamado Mediação da  Aprendizagem que traz muitas contribuições  de Feuerstein e de Vygotsky, chego a conclusão que minhas  dúvidas e  questionamentos estão trilhando  caminhos  certos.
Buscar  entender a mediação na aprendizagem é compreender de  que  forma acontece a aprendizagem no ser humano.
Toda minha infância  foi mediada por minha mãe e por meu pai, que  procuravam despertar em mim a vontade de aprender a aprender, a busca de me fazer compreender que lendo,  eu seria de algum  modo  livre para  voar como um pássaro, e assim ser  autora da minha  própria história.
Depois de anos tentando  fazer com que minha equipe de professores compeendessem a importancia da mediação na aprendizagem,chego a conclusão que ainda  tenho um vasto caminho a percorrer e  eles  também.
Ao professor não basta ensinar, ao professor compete mediar.
Vemos hoje um discurso  muito  usado em quase todas as escolas do  país: " O  aluno  precisa  aprender a aprender" na realidade isso  virou um jargão, que na maioria das vezes não acontece. Todo  professor precisa  ter em mente que  necessita mudar sua   forma de agir , mudar o estilo de suas  aulas, precisa alcançar este aluno  na integra, ou a  aprendizagem não irá  acontecer. Nos  cursos  de  graduação, pós-  graduação e etc vemos professores  nos  aconselhando a lecionarmos de  forma a  transmitir as informações aos nossos alunados de forma que os mesmos  consigam  perceber e entender o que queremos transmitir. Os professores de uma forma geral até  tentam mas  a grande maioria não sabe  como fazer isto acontecer.
Nas Universidades , lemos  textos retirados de livros e não  livros inteiros, por este motivo,  apenas  refletimos o que diz  um capítulo,ou seja fazemos sinteses e discutimos o conteúdofracionado, não  nos dão espaço para  sermos autores de nossa prática, não nos deixam espaço para  produzir bons textos, e assim  formamos professores que  não  acham importante a criação, damos valores a cópias. Como  diria  Jung " nascemos original e morremos cópia". É bem  verdade que isso  acontece, portanto, precisamos de modelos  para  serem  seguidos, mas  que modelos  estamos seguindo?formando?  como exigir  do professor, mudanças? Então levantamos  uma questão: Qual a diferença entre ensinar  e mediar? ou seja qual a diferença entre ser professor e ser mediador? Um professor pode ser mediador? Como fazer deste aluno autor de sua história ou  que não seja apenas um  transmissor de conhecimentos , mas que seja  produtor de conhecimentos , que saiba desenvolver sua autonomia para  poder aprender a aprender.Formando-se assim  como que diz nossa LDB, cidadão  do mundo, crítico , reflexivo, justo e eficaz nas suas ações e consciente de seu papel no mundo e na sociedade.
Logo lendo e buscando sobre mediação pude compreender que mediar é uma espécie de interação especializada em que a "aprendizagem encontra a "autonomia para aprender" e juntas, possibilitam a  contrução de pessoas com capacidade de andar por si só na contrução do conhecimento." Compreedendo que mediar é  tão importante , me  retrato a minha infância  para  descrever um pouco  sobre  como a mediação  foi  importante na minha formação  não só  academica como  pessoal.
Minha mãe  de uma certa forma me vem hoje a lembrança como a primeira mediadora  que conheci e talvéz a  mais importante. Em toda minha  infância, lembro  dela lendo e me  fazendo depois  narrar  o que ela  havia lido  de forma que  eu pudesse não  decorar sua fala, mas  de alguma forma oportunizar a minha criação, ou seja  que  eu pudesse descrever de que forma compreendi o que ela  havia lido. O mais engraçado  disso é que ela não tinha instrução, não havia feito um curso  superior, nem pós graduação e nem tão puco mestrado ou doutorado em educação. Havia  sim,  todo um encantamento em sua  fala,  que até hoje a escuto  contando  com  tanta emoção  por exemplo,  a história de Cachinhos de ouro, e  eu  enquanto  ouvinte me deixava penetrar  por  esse mundo do faz de conta, e assim  ia  de uma certa forma  construindo meus saberes e no dialógo com  ela, sendo autora da minha  própria imaginação, reconstruindo tais experiências mentais e verbais,  formalizando assim o aprender a aprender hoje tão  divulgado.Nas trocas, nos dircursos, nas conversas  conseguimos de alguma  forma transmitir  nossa  aprendizagem, ou seja  com  dizia Vygotsky  é na interação que o homem se faz homem.
E buscando em Feuerstein  e estudando sua  proposta que tem por  base as experiências de aprendizagem mediada  e a avaliação de potencial de desenvolvimento, que  procuro  base  para meu questionamento  sobre  como podemos aprender a aprender? de que  forma  podemos mediar um aluno? Será que o mediador pode ser um facilitador da aprendizagem? e  de que forma  esse mediador poderá  atuar na escola?Eses  questinamnetos me fazem  buscar  em minha  prática , primeiro como  professora e depois como coordenadora que que forma podemos formar pessoas que compreendam  a importância de mediar.
A mediação vem também para romper com os paradgimas e conceitos, hoje precisam abrir as portas para a diversidade educacional,revendo nossas atitudes em sala de aula, integrando várias áreas, trabalhar as várias educações, para poder identificar potencialidades para que todos posssam ser alcançados contribuindo assim com a escola inclusiva que chega hoje para agregar a todos deficientes ou não.

Um comentário:

marcos meier disse...

Parabéns pelo texto reflexivo. Mediar é a saída para o desenvolvimento das crianças! Um abraço e continue divulgando o trabalho desse grande educador: Feuerstein.

Marcos Meier